26 de out de 2010

PUTARIA NACIONAL 
A putaria na  TV é normal. Políticos, novela, futebol, igrejas etc. 

Não nos causam mais estranheza estes acontecimentos, visto que todo escândalo nos mais diferentes setores são vistos como normais. Já nos habituamos com a expressão: "ISTO É NORMAL".

Vale aqui a saudosa lembrança de Rui Barbosa quando disse: "...o Homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".

Salientou o velho Ruy que a chaga da Nação é a "FALTA DE JUSTIÇA". Triste realidade até os dias de hoje.

Algumas ações pelo mundo dão exemplo de como deveríamos viver. Vejam esta da mulher sudanesa:   Lubna Ahmed Hussein . Esta mulher, através de seu  ATO HERÓICO, moveu o País inteiro a andar de calças.

É como digo sempre. A grande maioria dos seres humanos não sabe o motivo de sua existência e com o advento do capitalismo, através do marketing da  "lavagem cerebral", acredita que sua realização está no "cofre cheio $$$". Tristes homens que vivem assim acorrentados ao "vil metal". Depositam suas vidas e esperanças na abundância do mesmo. Ainda desconhecem a "leveza" da simplicidade existencial. Querem reconhecer um destes. Muito fácil. Normalmente eles dizem sempre a famosa frase: "eu não tenho tempo". Xiiii!!!... você se encaixa no exemplo? Fudeu! Estás contaminado... éééé, contaminaaaaado... MAS CALMA. MUITA CALMA. Há remédio para o problema. Nem tudo está perdido.

Esta falta de tempo é que permite muitos males, sendo um deles a FARRA DOS POLÍTICOS. Haja vista a outra frase famosa dos "sem tempo pra nada": "política não se discute, aliás nem vale a pena" ...consequências?... mensalões, ladrões do orçamento, pizza do Sarney etc.

Ainda não consegui entender, até hoje, esta falta de tempo para ler, estudar, informar-se, buscar conhecimento, enquanto, em contra partida, há dedicação ao FUTEBOL ou a um capítulo especial da NOVELA! Que tempo é esse? Será que não temos mesmo? Ou será que somos egoístas, somente nos mexemos quando o fogo é no nosso quintal? Aí, quase sempre é tarde demais. Aliás, foi assim com Hitler, pois os EUA não ligava para a merda na Europa. Foi preciso um BOOOMM! em Pearl Harbor para os americanos se levantarem e agirem, caso contrário a Europa poderia cair e eles não estavam nem aí.

Percebe-se que EGOÍSMO não é doença nacional, mas mundial. Como já disse Willian Shakespeare em Macbeth... e que ratificou em Florença, na Itália, o famoso Nicolau Maquiavel em seu célebre livro O Príncipe.

Coitado do brasileiro, esteriótipo do JECA TATU, personagem de Monteiro Lobato que não procura adquirir sabedoria, aí se ferra mesmo! Pois na ânsia de melhorar a vida, acaba caindo nas escadarias dos milagres. Enchem as igrejas e templos evangélicos. Mal sabem eles que ali é que está grande parcela dos PICARETAS NACIONAIS, salvo raríssimas exceções...

Caem no conto do vigário com a ladainha do rezar "x" Pais Nossos e tantas AvesMarias mais uma ajudinha técnica $$$ pra paróquia e seus "pecados estão limpos". Aqui, ESTELIONATO É POUCO, mas fazer o quê? No Brasil há liberdade de culto e se fundarmos uma igreja do DIABO, tudo bem, é permitido, está na Constituição. Aliás, acredito que teria público, pois Deus está muito em baixa no marketing popular.

Pior - é, amigos, existe pior - é a corrente de EVANGÉLICOS, que se diz "sem intermediários" e fala direto com Deus. Para eles, não existem santos. O negócio é falar com o "chefe". Ele é que resolve. Para isso, os chamados "pastores" se põem a GRITAR, BERRAR, URRA!, URRA!, XÔ, SATANÁS...VADE RETRO, TINHOSO! Estes pastores desafiam "AS TREVAS E BELZEBU" ... e o POVÃO adora o ESPETÁCULO, pois é o que se tornam as reuniões evangélicas, verdadeiros SHOWS, algumas até com direito a ROCK GOSPEL cantando o refrão: "NA CASA DO SINHÔ NÃO ENTRA SATANÁS... XÔ, SATANÁS, XÔ, SATANÁS"... e por aí vai...

Nem os Beatles tem a performance desses conjuntos da juventude evangélica. Eles são "US CARA, MEU"!

Incrível é a hora do DÍZIMO... meu DEUS ...o que é aquilo. É um tal de implorar para depositar na conta corrente de Jesus que não tem tamanho. É TANTA PICARETAGEM, um golpe atrás do outro... mas, mas e mas... O POVÃO GOSSSSSTA! ADOOOOORA! O "Zé Ninguém" quer ver o pastor lutar com o Diabo, bem ao estilo Ultimate Fighting. Ele quer ver o "SHOW DO HORROR".

Melhor que isso é chegar em casa assistir à NOVELA, e depois vem o FUTEBOL...eheheheh... vidããão. Como diz na música de Sérgio Reis, "É ISSO "QUE O POVO GOSTA, É ISSO QUE O POVO QUER.

Depois, este mesmo "Mané" vai pra padaria tomar uma cervejinha e descer o pau nos políticos. QUER VIDA MAIS PERFEITA? Sinceramente, NÃO EXISTE! Só rindo mesmo... ESTA É A MAIS PURA VERDADE!

Estando o Brasil deitado nesta "catarse freudiana", os "ratos" fazem a festa, como é dito na música Vai Passar, de Chico Buarque: "...a pátria sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações".
O que sobra? Muito pouco, pois até a "esperança é uma equilibrista", como se diz na música cantada pela saudosa Elis Regina.

Como viver? Hora, hora... "viva sangrando", como se diz na música de Gonzaguinha. Muito triste tudo isso, pois a beleza dita por Ary Barroso na música Aquarela do Brasil continua aí escancarada, bem da frente dos nossos olhos e dos gringos também, por que se "marcarmos touca", ELES VEM E TOMAM NA MÃO GRANDE a NOSSA AMADA E VALORIZADA AMAZÔNIA. Quer saber? Se derem um churrasquinho e um caneco da FIFA, os "homi intrega". Salve, Pai! Que povinho tu colocastes aqui hein?!
Esta é a alma nacional: egoísta, indiferente, malandra, vagabunda, se vende a qualquer preço e que se "FODA O RESTO!"

Sábias palavras ditas por Cazuza em sua música: "...não me convidaram pra esta festa pobre... Brasil mostra sua cara..."

Diante desta FÉTIDA EXPOSIÇÃO sobre as entranhas do POVO BRASILEIRO, resta-nos rezar. Éééé... vamos rezar, pois esse mesmo POVÃO diz que "DEUS É BRASILEIRO". Afff!!!...só por Deus.

Ainda perguntam por aí: "...o que se comemora mesmo no dia 7 de Setembro?" Ai, ai, ai, ai, ai...



JOHN ROBERT

24 de out de 2010

FERNANDO COLLOR PARA PRESIDENTE
Queremos justiça ou anarquia? Temos que escolher...

O "fato" crucial da História de nosso Parlamento Republicano está escancarado diante dos "olhos da Nação" e ninguém publica ou comenta...

Pergunto aos compatriotas qual seria sua posição diante das seguintes questões:

1) Roubaram sua carteira, mas acharam... é lícito devolver-lhe?
2) Perdeste seu notebook e acharam... é justa sua devolução?
3) Esqueceste certa quantia em dinheiro na casa de alguém... ele deve restituir-lhe?




Aparentemente, são perguntas com respostas óbvias, mas quando analisadas e comparadas a outros fatos, elas nos levam ao entendimento absoluto da noção básica de justiça, buscando dar "sim", também, para outros "atos" erroneamente cometidos. Vamos analisar. Continuemos.

Antes, gostaria de acrescentar apenas mais uma questão interrogativa:

4) És alto executivo de uma organização e denúncias levianas surgiram contra você, mas mesmo assim perdeste seu emprego. O tempo passou e ficou provada sua inocência. Aí eu pergunto: "é justo ter sua cadeira profissional novamente, sendo que nada foi provado? (se tiver dificuldades no raciocínio, coloque alguém que muito ama na questão proposta).





Obviamente, sabemos qual a resposta se estivermos ungidos de bom senso e justiça.

Antecipo onde quero chegar, já perguntando:

5) O ex-Presidente Fernando Collor de Mello está aí e por quê não se restitui o que lhe foi tirado?
6) Por quê a cadeira no posto máximo de nossa Nação não lhe é devolvida?
7) Por quê a mídia tão ávida por escândalos não divulga mais esta injustiça com a História deste ser humano?

Se temos como resposta "sim" para as quatro primeiras perguntas acima, devemos também, por lógica, bom senso e justiça, ter a mesma resposta positiva e favorável nas outras perguntas 5, 6 e 7...

Claro que, para o completo e justo entendimento, se faz necessário despir-se de pensamentos pré-concebidos ou sentimentos animalescos, caso contrário, não se compreenderá a profundidade desta questão.

Tivemos nesta semana aquela "explosão" de sentimento, na fala do ex-presidente Collor quando se dirigia ao então senador Pedro Simon. Porém, alguns setores da mídia realizaram divulgações levianas à imagem do então senador Fernando Collor, fazendo ilações de que ele não mudou, que continua o mesmo.

Aliás, o próprio ilustre senador Pedro Simon fez algumas destas declarações tendenciosas e não oportunas, ou seja, fugiu do mote da questão tentando tirar a credibilidade do Collor em função do passado, mas quando este (Collor) declarou que poderia trazer à baila questões que poderiam desaboná-lo, aí ele (senador Pedro Simon) recuou.




Ainda no "instituto das comparações", é como se você tivesse tido um problema com alguém e que já fora dialogado, debatido e concluído, mas mesmo assim a pessoa, covardemente, volta no passado e tenta ressuscitar algo já destrinchado e resolvido à exaustão, saindo da discussão principal tentando "desviar o foco" para "questões jurássicas e mortas".

Gostaria de lembrar que o senhor Fernando Collor de Mello foi o primeiro eleito pelo voto direto (1990) depois do regime militar, eleito democraticamente, para presidente do Brasil, e injustamente arrancado do seu posto. Digo injustamente, pois foi absolvido pela mais alta corte do País (Supremo Tribunal Justiça).

Na época (1992), não foi dado a ele o direito de ampla defesa dentro de moldes democráticos conquistados a duras penas pela Nação Brasileira, ou seja, o que foi decretado ao Collor é a pior página da história republicana após a ditadura militar, onde um homem, eleito democraticamente, é destituído, sem provas, do seu cargo. Apenas especulações, amparadas e alicerçadas pelo tempo.

Imagine se alguém, maldosamente, levasse você à execração pública e que, depois de muitos anos, você, após acalentar esta calúnia, tivesse sendo novamente achincalhado por esta pessoa, como seria tua atitude? Iria responder-lhe com calma? Iria deixar repetir o ato do passado de afrontas levianas? Ficaria inerte diante da agressão covarde? Obviamente que não!!! Portanto, o fato de o ex-presidente Collor ter respondido de forma meio alterada emocionalmente ao senador Pedro Simon não quer dizer que ele continue o mesmo, não quer dizer que ele iria agredi-lo como disseram alguns. Não significa que ele é mal educado e tirano.

Isto é uma falácia, um sofisma! Uma, repito, covardia de alguns para com um homem que já defendeu com "unhas e dentes" nossa Nação. É um desrespeito acima de tudo para com a honra que todos nós possuímos e devemos defender estoicamente, e que ele o faz de forma varonil.

Vale lembrar o sofrimento que ele, o ex-presidente Fernando Collor, passou quando afastado de sua Pátria e que teve que acalentar quieto e sob mordaça da mídia nacional. Aproveito e coloco o link da época para que vocês tenham uma idéia do terror que ele passou.





Dá para se ter uma idéia o que é viver por quase 17 anos calado e com tudo isso entalado na garganta? Muitos até podem alegar que foi o povo brasileiro que foi para rua pedir "sua saída", mas hoje em dia sabemos muito bem como estas articulações de passeatas são feitas. Quase sempre sob muita suspeição
Creio que os compatriotas de juízo e bom senso compreenderam a extensão de seu calvário e martírio acalentados no silêncio de sua alma. Isto posto, volto à questão do que foi tirado injustamente de suas mãos.

Trago à baila uma ponderação moderada e verdadeira se entendermos que justiça é uma conquista inalienável, se entendermos que a liberdade dos direitos individuais em nossa Nação foi duramente conquistada e não poderemos permitir que a posteridade julgue como ato injusto a não devolução do cargo de presidente do País ao então, atual, senador Fernando Collor de Mello.

Eu, humildemente, um compatriota de todos os que lêem estas singelas linhas lanço uma campanha, uma campanha justa, real e de direito. Isto se entendermos que como sociedade legalista que somos devemos, acima de tudo, escrever justiça no estandarte das nações livres e democráticas fincando-a no panteão da liberdade e independência, para que nos anais de nossa História diminuam os crimes cometidos contra os diretos das liberdades individuais.

Sendo assim, reitero, se foi arrancada injustamente a presidência da República de Fernando Collor de Mello e se ele foi absolvido pelo STJ, que se devolva o cargo a ele e que foi angariado democraticamente.

"I S T O  É  J U S T I Ç A"




Aquela que lhe restitui o que é seu por direito e conquistada de forma idônea e lícita, portanto, diante deste quadro claro e cristalino de nossa História, seguramente eu digo:

"LANÇO A CAMPANHA VOLTA COLLOR".

Ainda que não lhe restituam o seu cargo, eu digo, volta, Collor... volte ao posto máximo de nossa Nação para que agora, curtido pelo tempo no óleo da sabedoria, escreva novas e lindas linhas nas páginas da História de nossa Pátria.

Não estou defendendo o senhor Collor, o que defendo com minha alma são os direitos individuais estampados no templo da justiça da história mundial. Faria isto, do mesmo jeito, para o senhor Lula e Fernando Henrique se sofressem das mesmas injustiças. E olha que ambos tiveram dois mandatos. Por que não testarmos o "novo Collor"? Vamos dar a oportunidade a este que, provavelmente, anseia esta pasta executiva no comando de nossa Nação. Ele errou, reconheceu e pagou tudo aquilo que "oportunistas" fizeram. Está mais do que na hora de ele voltar, pois tantos outros voltaram. Por que não ele?

"FERNANDO COLLOR DE MELLO para PRESIDENTE EM 2014".

Aos que não sabem nada sobre a História do ex-Presidente Fernando Collor de Mello, deixo link para que dimensionem sua grandeza latente aguardando o momento decisivo CLIQUE AQUI

JOHN ROBERT

30 de set de 2010


SÃO PAULO AGRADECE A OTTO BAUMGART

      Poucos marcaram de forma tão pujante a Sociedade Paulistana como o Empresário Otto Baumgart.
      Empreendedor por nartureza, nasceu, cresceu, desenvolveu-se e fez História ao longo do Século XX, deixando um legado de exemplos estóicos, inovadores e de vanguarda.
      Graduado em Engenharia na Alemanha, encontrou-se, de fato, aqui em sua Terra Natal, o Brasil, deixando sua marca maior na Cidade Center Norte, Zona Norte da Cidade de São Paulo, presenteia à Sociedade Paulistana com um complexo gigantesco e vibrante que dá a oportunidade a centenas de outros Empreendedores, além de gerar riquezas ao Estado de São Paulo, sem falar nos milhares de empregos que promoveu e promove ao longo de quase duas Décadas de sua existência.
       Como Presidente do Center Norte S.A. soube resistir a muitas tentações, principalmente, a de NÃO COBRAR estacionamento dos seus freqüentadores, pois carregava em seu coração um AMOR IMENSO não só ao seu Negócio, mas também e principalmente ao seus compatriotas que passeavam com suas famílias no Complexo do Shopping de seus sonhos, o Center Norte.
       Visionário deixa Saudades aos Paulistanos, pois foi através de seus pensamentos, sentimentos e ações que assistimos boa parte desta Cidade crescer.
       Desde já o povo Paulistano, solicita aos Políticos em gestão um busto à altura de sua envergadura em lugar e local de destaque para que as gerações vindouras se espelhem neste HERÓI NACIONAL, haja vista que Empreender no Brasil nunca foi fácil.

       Filho do Mundo, mas Nacionalista por convicção, amou profundamente, seu País dedicando-se com Fé, ardor e paixão aos seus Negócios na Zona Norte da Capital Paulista.
       Parte para a Pátria Espiritual enriquecido de agradecimentos, reconhecimentos, aplausos, conquistas e méritos, logo certamente encontrou a Paz ao atravessar a cortina da Vida Terrena, Paz esta tão desejada para os Homens justos, corretos e probos.
       Vai com Deus ilustre cidadão, Paulistano da gema, queridíssimo ser humano Otto Baumgart.

São Paulo agradece a sua existência

Condolências

SOCIEDADE PAULISTANA
by John Robert

16 de ago de 2010

GANHAR DINHEIRO NO SÉCULO XXI


O que é melhor?
Empregado dedicado ou parceiro criativo?
Aparentemente, parece ser uma colocação meio dúbia, porém à luz dos novos tempos muita coisa fica esclarecida... vamos ver.
O cenário do século XXI é altamente conflitante no que diz respeito às relações com funcionários, pois a demanda por capacitação intelectual é alta e em contrapartida a necessidade de liberdade que o candidato a funcionário quer é grande, cada vez maior. Não bastasse, temos o problema da remuneração. De um lado, é alta para o empregador (CLT), e do outro, é muito baixa para quem recebe, gerando o desentendimento de ambos (empregador e empregado) que quase sempre desemboca em mudança de empresa e lides trabalhistas.
Vamos deixar aquele "papinho furado" de lado e por o dedo na ferida deste eterno conflito, ok!? O EMPREGADO quer, na verdade, GANHAR BEM... isto é fato! Então vamos lá...
Amigo empregado, todo empregador sabe que pagando bem você ficará feliz, mas se acomodará, pois o princípio básico do receber bem consiste no mérito; logo é necessário de sua parte demonstrar motivos pelo qual o faça te pagar bem.
Amigo empregado, a situação acima é imutável, pois pagar bem a quem ainda não demonstrou mérito é ser um idiota total. Parece óbvio, mas ainda hoje alguns empregadores acreditam que se anteciparem Pagando bem terão comprometimento maior do funcionário, o que não é verdade. Na maioria das vezes quebram a cara e ficam com traumas. Daí pra frente, coitadinho dos próximos funcionários. O chicote come feio!
O empregador quer, na verdade, pagar o menos po$$ível. Isto é fato também! Pensemos...
Amigo empregador, todo empregado tem em mente que você é um "explorador", porém a conotação quase sempre pende para o lado pejorativo, tornando-o, gratuitamente, uma figura indesejável e aproveitadora. Isto mesmo! É assim que a maioria dos empregados o vêem. Logo, se faz necessário que você derrube esta imagem que é transmitida de geração em geração. É necessário que você transcenda o simples cargo de "patrão", assumindo, definitivamente, postura de LÍDER.
Parece simples, mas não é. Ser LÍDER compreende possuir um conjunto de qualidades raras, principalmente, nos dias de hoje, onde a ética, caráter e moral são alijadas de nosso dia-a-dia.
Lamentavelmente, muitos empregadores insistem em ser patrões, e na atualidade não se admite, em hipótese alguma, este idiota de plantão e que se acha "O CARA" apenas por pagar o salário. Tonto e besta o funcionário que aceita esta relação escravocrata, fazendo com que na maioria das vezes peguem ódio do dito patrão. E aí, coitado dos próximos empregadores. Pois este empregado será um vagabundo enrustido, sempre boicotando a empresa.
Esta relação de ambos, historicamente, está mais do que consagrada à falência, pois não há, neste quadro descrito acima, um equilíbrio de entendimento, interesses e benefício$ onde um leva vantagem e o outro perde.
Como implantar a famosa relação ganha-ganha tão difundida e divulgada?
Ainda a água é molhada e o gelo é frio. Logo, não se pode mudar alguns axiomas da natureza humana, visto que Shakespeare, Maquiavel e Clausevitz, entre tantos outros escritores, esclareceram esta confusa relação, mas quando estudada é facilmente compreendida e administrável.
A relação de empregador e empregado no Século XXI será resolvida quando ambos assumirem os papéis de responsabilidade para os novos tempos.
* O empregador deve pagar bem, pois o empregado merece, é seu parceiro. Fato!
* O empregado deve realizar o seu melhor, pois o empregador merece. É seu parceiro. Fato!
Perceba que mesmo antes de existir qualquer "relação profissional", há, implicitamente, uma linha comum de méritos uns para com os outros e é este entendimento que ambos devem ter, mas como por isto em prática?
Aliás, os consultores em geral são mestres em dizer o que tem que se fazer, mas muito raramente dizem o como fazer? A estória é mais ou menos assim: "...uma pessoa pergunta como fazer para atravessar o rio até o outro lado da margem. O consultor responde... basta pular na água, virar peixe, ir nadando até o outro lado. Ao sair, vire ser humano novamente. É muito simples, viu?! Porém, o sabichão do consultor nunca explica como é possível virar peixe!..."
Abaixo, vamos explicar apenas "uma das muitas" fórmulas de como fazer esta relação empregado e empregador tornar-se próspera para ambos. Muito bem...
Os empregados necessitam se libertar dos famosos direitos trabalhistas (CLT), enquanto os empregadores necessitam remunerar seus funcionários por comissão... digo remunerar todos os funcionários, do porteiro ao presidente. Isto é equipe!
Na não existência destes quesitos básicos, estaremos voltando ao sistema de relação antiga: dolorosa, arcaica e infeliz para os dois.
O funcionário da atualidade precisa se desprender da carteira de trabalho e abrir uma empresa. Digo, necessita ser um empresário em menor escala, é claro, pois somente assim seus rendimento$ poderão ser maiore$ do que os atuais, além do que sua responsabilidade no seu dia-a-dia automaticamente será testada e ampliada em função da necessidade de segurar seu cliente (antigo patrão).
O empregador da atualidade precisa se desprender de pagar migalhas para alguns e muito para outros. Necessita urgentemente implantar um esquema de comissionamento para todos da empresa, pois somente assim todos se sentirão com a responsabilidade de cuidar adequadamente da empresa e todos se comprometerão com os resultados.
Implantar o famoso espírito de equipe é isso! Ou isto acontece!...Ou ambos sairão perdendo e muito.
Caso isto não ocorra, o empregador faturará pouco com a consequência de uma má remuneração para o empregado.
Esta nova empresa é vital ao sucesso dos negócios, pois somente assim poderá ter a flexibilidade necessária para os novos desafios do Século XXI. Hoje em dia, exige-se desprendimento da mamata do salário assim como exige-se desprendimento do pagar migalhas aos funcionários.
Esta é a verdadeira parceria embasada na liberdade e independência, valores inalienáveis dos seres humanos em todos os tempos. Aí sim veremos nossa primeira pergunta acontecer, na prática, somente quando estas atitudes forem realizadas. Somente desta forma haveremos de possuir: "EMPREGADOS DEDICADOS E PARCEIROS CRIATIVOS".


JOHN ROBERT


contato: johnrobertconsultor@gmail.com