16 de ago de 2010

GANHAR DINHEIRO NO SÉCULO XXI


O que é melhor?
Empregado dedicado ou parceiro criativo?
Aparentemente, parece ser uma colocação meio dúbia, porém à luz dos novos tempos muita coisa fica esclarecida... vamos ver.
O cenário do século XXI é altamente conflitante no que diz respeito às relações com funcionários, pois a demanda por capacitação intelectual é alta e em contrapartida a necessidade de liberdade que o candidato a funcionário quer é grande, cada vez maior. Não bastasse, temos o problema da remuneração. De um lado, é alta para o empregador (CLT), e do outro, é muito baixa para quem recebe, gerando o desentendimento de ambos (empregador e empregado) que quase sempre desemboca em mudança de empresa e lides trabalhistas.
Vamos deixar aquele "papinho furado" de lado e por o dedo na ferida deste eterno conflito, ok!? O EMPREGADO quer, na verdade, GANHAR BEM... isto é fato! Então vamos lá...
Amigo empregado, todo empregador sabe que pagando bem você ficará feliz, mas se acomodará, pois o princípio básico do receber bem consiste no mérito; logo é necessário de sua parte demonstrar motivos pelo qual o faça te pagar bem.
Amigo empregado, a situação acima é imutável, pois pagar bem a quem ainda não demonstrou mérito é ser um idiota total. Parece óbvio, mas ainda hoje alguns empregadores acreditam que se anteciparem Pagando bem terão comprometimento maior do funcionário, o que não é verdade. Na maioria das vezes quebram a cara e ficam com traumas. Daí pra frente, coitadinho dos próximos funcionários. O chicote come feio!
O empregador quer, na verdade, pagar o menos po$$ível. Isto é fato também! Pensemos...
Amigo empregador, todo empregado tem em mente que você é um "explorador", porém a conotação quase sempre pende para o lado pejorativo, tornando-o, gratuitamente, uma figura indesejável e aproveitadora. Isto mesmo! É assim que a maioria dos empregados o vêem. Logo, se faz necessário que você derrube esta imagem que é transmitida de geração em geração. É necessário que você transcenda o simples cargo de "patrão", assumindo, definitivamente, postura de LÍDER.
Parece simples, mas não é. Ser LÍDER compreende possuir um conjunto de qualidades raras, principalmente, nos dias de hoje, onde a ética, caráter e moral são alijadas de nosso dia-a-dia.
Lamentavelmente, muitos empregadores insistem em ser patrões, e na atualidade não se admite, em hipótese alguma, este idiota de plantão e que se acha "O CARA" apenas por pagar o salário. Tonto e besta o funcionário que aceita esta relação escravocrata, fazendo com que na maioria das vezes peguem ódio do dito patrão. E aí, coitado dos próximos empregadores. Pois este empregado será um vagabundo enrustido, sempre boicotando a empresa.
Esta relação de ambos, historicamente, está mais do que consagrada à falência, pois não há, neste quadro descrito acima, um equilíbrio de entendimento, interesses e benefício$ onde um leva vantagem e o outro perde.
Como implantar a famosa relação ganha-ganha tão difundida e divulgada?
Ainda a água é molhada e o gelo é frio. Logo, não se pode mudar alguns axiomas da natureza humana, visto que Shakespeare, Maquiavel e Clausevitz, entre tantos outros escritores, esclareceram esta confusa relação, mas quando estudada é facilmente compreendida e administrável.
A relação de empregador e empregado no Século XXI será resolvida quando ambos assumirem os papéis de responsabilidade para os novos tempos.
* O empregador deve pagar bem, pois o empregado merece, é seu parceiro. Fato!
* O empregado deve realizar o seu melhor, pois o empregador merece. É seu parceiro. Fato!
Perceba que mesmo antes de existir qualquer "relação profissional", há, implicitamente, uma linha comum de méritos uns para com os outros e é este entendimento que ambos devem ter, mas como por isto em prática?
Aliás, os consultores em geral são mestres em dizer o que tem que se fazer, mas muito raramente dizem o como fazer? A estória é mais ou menos assim: "...uma pessoa pergunta como fazer para atravessar o rio até o outro lado da margem. O consultor responde... basta pular na água, virar peixe, ir nadando até o outro lado. Ao sair, vire ser humano novamente. É muito simples, viu?! Porém, o sabichão do consultor nunca explica como é possível virar peixe!..."
Abaixo, vamos explicar apenas "uma das muitas" fórmulas de como fazer esta relação empregado e empregador tornar-se próspera para ambos. Muito bem...
Os empregados necessitam se libertar dos famosos direitos trabalhistas (CLT), enquanto os empregadores necessitam remunerar seus funcionários por comissão... digo remunerar todos os funcionários, do porteiro ao presidente. Isto é equipe!
Na não existência destes quesitos básicos, estaremos voltando ao sistema de relação antiga: dolorosa, arcaica e infeliz para os dois.
O funcionário da atualidade precisa se desprender da carteira de trabalho e abrir uma empresa. Digo, necessita ser um empresário em menor escala, é claro, pois somente assim seus rendimento$ poderão ser maiore$ do que os atuais, além do que sua responsabilidade no seu dia-a-dia automaticamente será testada e ampliada em função da necessidade de segurar seu cliente (antigo patrão).
O empregador da atualidade precisa se desprender de pagar migalhas para alguns e muito para outros. Necessita urgentemente implantar um esquema de comissionamento para todos da empresa, pois somente assim todos se sentirão com a responsabilidade de cuidar adequadamente da empresa e todos se comprometerão com os resultados.
Implantar o famoso espírito de equipe é isso! Ou isto acontece!...Ou ambos sairão perdendo e muito.
Caso isto não ocorra, o empregador faturará pouco com a consequência de uma má remuneração para o empregado.
Esta nova empresa é vital ao sucesso dos negócios, pois somente assim poderá ter a flexibilidade necessária para os novos desafios do Século XXI. Hoje em dia, exige-se desprendimento da mamata do salário assim como exige-se desprendimento do pagar migalhas aos funcionários.
Esta é a verdadeira parceria embasada na liberdade e independência, valores inalienáveis dos seres humanos em todos os tempos. Aí sim veremos nossa primeira pergunta acontecer, na prática, somente quando estas atitudes forem realizadas. Somente desta forma haveremos de possuir: "EMPREGADOS DEDICADOS E PARCEIROS CRIATIVOS".


JOHN ROBERT


contato: johnrobertconsultor@gmail.com